deposto depois

tendo molestado uma coxinha na parada de Luz, e agonizado por horas e horas no gontijo errante por entre relâmpagos de um cerrado chuvoso: maligna coxinha.

o vazio q resta depois de um festival de rock, temperado pelas náuseas do salgadinho nunca digerido.

ao q digo ao hudson q a voz do caetano, só a voz do caetano pra me tirar desse vazio, por morar nela uma legião de deuses dourados, ele responde: sabia q o iggy pop adora caetano? e q ele costumava ouvir numa fita cassete os ogãs da bahia tocando seus tambores e cantando para ogum? sabia não, iggy. dá sua mão aqui, quero caminhar pela praia de mãos dadas com você, nós dois sem camisa, e em silêncio, nós dois filhos de ogum, nós dois cansados de guerra.

2 comentários:

Celso Amâncio disse...

Nem sei o que é mais medonho... uma coxinha maligna ou um gontijo errante...

estava com sôdade de seus posts... vê se não some tanto tempo assim!

abração

Anônimo disse...

Bendita coxinha: Todo poeta tem a musa que merece, quem mandou ser roqueiro?
Beijão.