hiroshima nagasaki pururuca

hj é natal então eu pus então é natal da simone e fui comer sozinho o leitão que arrematei barato hj no leilão. arrematei, papel silofane parecendo embrulho de presente, self service nesse dia especial não dá

é o primeiro natal que passo sozinho. sozinho, sozinho, não, né. pq tem o leitão. pq ela não tem mais. ela foi embora.

mas eu virei o leitão com a cara pra lá, muni-me de galfo e faca e espetei. e comecei a comer. e fui comendo. e fui me lembrando dela ter ido embora e fui comendo. e fui me lembrando q estava sozinho no natal e fui comendo. e fui me lembrando que tinha voltado ao vício do ueifer e fui comendo. e fui me lembrando que tava comendo e fui comendo.

aí a gordura da pururuca começou a fazer o garfo querer ir embora, como a vida é escorregadia. tudo escorregando, eu disse some daqui filho da puta, e comecei a comer com a mão. aí a vida é escorregadia e o leitão tb é e ele foi parar no chão e eu fui atrás com as mãos tudo lambrecada. eu já tava sem camisa e éramos nóis dois rolando no chão nesse natal. eu estava ofegante, o leitão tb. eu comecei a chorar e o leitão parece q tb. nosso carnaval natalino: suor, lágrima e gordura. chão

tudo correndo daqui, tudo escorrendo, a mão não dava mais pra segurar o leitão. e eu fui de dente, mordi o danado, a cara toda de gordura, ninguém vê mas eu sinto.

(em parceria com hudson rabelo)

3 comentários:

Diego de Moraes disse...

hudson diz:
tem no seu toba
hudson diz:
you tube
hudson diz:
you tube = seu toba
hudson diz:
rararara
Diego em Cuiabá (ouvindo Pata de Elefante) diz:
?
hudson diz:
o danilo que mandou essa esses dias

Schwartz (o Walber) disse...

Cada proust com suas madeleines.

Anônimo disse...

risadinhas