tá de noite já. dormir, descansar, garoto. noite na sua existência? raia novo dia. lembra da peia do aiuasca? vc com aquela dicção intoxicada, pedindo me levem pra água, água, água. cachoeira, e vc chapadão com os pés no rio jogando água nas canelas, entoando lamento desconhecido e dizendo pra si mesmo: fica calminho, fica calminho. os olhares estupefatos dos companheiros, comovidos com a sinceridade daquilo, o mais doce dos espetáculos, oxum conversando com filho dela com a voz emprestada junto a ele, ouvinte e falante ao mesmo tempo. os suspiros que vc descobriu naquelas tristezas de 10 anos atrás. deixa seu peito livre desse ar. volta pra você, volta pros seus braços, acenda o fogo ignácio da ignorância santa, deixa queimar o que te consome.

6 comentários:

Anônimo disse...

lindo

footloose disse...

eu deitado depois do chá. no alto o auge. ver aquelas pessoas que já "morreram". voltar para a cama e me cobrir com a colcha de retalhos. 10 anos circulares. ciclolares.

sua imagem doce de vc é o q vc é?!

bjo no seu coração.

Fei disse...

O que te consome é você. O que me consome sou eu. O que consome é.

From Hell disse...

rapaz

dai-me
paz
dai-me
luz
dai-me
a
sinceridade
da
paz


rodrigo vallin
www.surtoirreal.blogspot.com

O Turista disse...

e queima.

th costa disse...

esvaziar

esvaziar

quando voce se encontrará com
yoko ono ?


mapadehomemade.blogspot.com